Há 28,5 milhões de euros para modernizar linha de Sines

A empreitada de modernização da ligação ferroviária entre Sines e a Linha do Sul foi consignada pela Infraestruturas de Portugal (IP) ao consórcio Sacyr Neopul, S.A./ Sacyr Somague, num investimento de cerca de 28,5 milhões de euros.

30 Septiembre 2021

A empreitada de modernização da ligação ferroviária entre Sines e a Linha do Sul foi esta terça-feira, 28 de Setembro, consignada pela Infraestruturas de Portugal (IP) ao consórcio Sacyr Neopul, S.A./ Sacyr Somague, no âmbito do programa de modernização da Rede Ferroviária Nacional, Ferrovia2020, num investimento de cerca de 28,5 milhões de euros.

Com a presença do ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, foi assinado, numa cerimónia realizada ao início da tarde de ontem na sede da IP, o auto de consignação da obra, que foi adjudicada pelo valor de 28 528 518,27 euros.

A assinatura «marca o inicio dos trabalhos desta empreitada que tem como principais objetivos eliminar os atuais constrangimentos de capacidade e potenciar as condições de exploração e de segurança na Linha de Sines», diz as Infraestruturas de Portugal numa nota enviada às redações.

A empreitada consiste na modernização do atual canal ferroviário da Linha de Sines, troço entre Ermidas Sado e Sines, englobando, genericamente, trabalhos de vi férrea, terraplenagem, drenagem, obras de arte correntes – passagens superiores e passagens inferiores, restabelecimentos, construção de uma nova estação técnica e modernização de estações existentes, instalações fixas de tração elétrica, infraestruturas de base para sinalização e telecomunicações, serviços afetados e medidas de minimização.

No âmbito desta empreitada «será efetuada a substituição integral da superestrutura de via com utilização de travessas monobloco polivalentes em betão e carril 60 E1, uma nova estação técnica ao quilómetro 141 e a alteração do layout da estação de São Bartolomeu da Serra por forma a assegurar o cruzamento de comboios de 750 metros de comprimento e otimização das condições de exploração», explica a IP.

Serão também a suprimidas as passagens de nível da Abela (Estrada N 390) e da Subestação de Santiago do Cacém (Estrada N 121), aos quilómetros 143,904 e 153,022, respetivamente,

O projeto global da “Ligação ferroviária Sines-Elvas”, inserida no Corredor Atlântico das Redes Transeuropeias de Transportes (TEN-T), tem por objetivo «modernizar a infraestrutura ferroviária existente, e, após a construção do troço Évora Elvas, estabelecer uma ligação direta entre Sines e Badajoz em oposição ao trajeto atual», conclui.

 

Fonte: Associação dos Portos de Portugal

CONTACTO

Rellena nuestro formulario de contacto y nuestro equipo se pondrá en contacto contigo para buscar la solución que necesitas